Papo Cloud 023 – Persona IT by SOFTEX

Bem-vindo ao Papo Cloud podcast. Eu sou Vinicius Perrott e aqui, o Papo é Cloud!

Estudar como os mercados se movimentam sempre foi uma das minhas áreas de estudo, seja por simples curiosidade ou como parte do meu trabalho; entender como os mercados de serviços, indústrias de transformação ou qualquer que seja estão se transformando, é vital para um profissional que atua como consultor.

Em um desses meus estudos, acabei encontrando um material bastante interessante e que traz informações justamente sobre os profissionais de TI que atuam dentro das empresas, sendo elas de foco em tecnologia da informação ou tento como a TI uma área meio.

Estou falando da pesquisa realizada pela SOFTEX.

A pesquisa tem o nome Persona IT – Caracterização do Profissional de TI e evolução de suas principais especificidades nos últimos 10 anos.

É um panorama bem interessante de 2007 até 2017.

Não sei se você já ouviu falar na SOFTEX, mas só para deixa alinhado: “A Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – Softex – é uma Organização Social Civil de Interesse Público (OSCIP) que desenvolve ações para promover a melhoria da competitividade da Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI (IBSS), bem como a disponibilidade de recursos humanos qualificados, tanto em tecnologias como em negócios. Gestora do Programa para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – Programa Softex, considerado prioritário pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a entidade atua, desde 1996, em prol do desenvolvimento do setor.”

O link para acesso a pesquisa estará na transcrição desse programa.

Interessante que a pesquisa foi feita com base nos dados que são informados na RAIS – Relação Anual de Informações Sociais, esses dados são fornecidos pelas empresas que possuem contrato de trabalho firmado com os profissionais de todas as áreas.

A pesquisa tem como foco os Profissionais de TI, sendo: Diretores, Gerentes, Especialistas de TI, Engenheiros de computação, Analistas de sistemas, Técnicos em programação, Técnicos, em operação e monitoração de computadores e classifica essas categorias em dois grandes grupos, sendo eles: CORE TI e In House.

Link da pesquisa AQUI.

Onde CORE TI são setores econômicos tipicamente de TI e In House outros setores que não aqueles considerados tipicamente de TI.

Independente do setor que você ou seu time atue, e que pode ajudar em qualquer área é ouvir aos podcast aqui do Papo Cloud e como você já sabe, mas não custa lembrar, toda a transcrição desse programa você vai encontrar em papo.cloud/023.

Arthur, Samuel e o Michel já estão aqui no Papo Cloud ajudando a melhorar mais esse programa e VOCÊ?

Baixe o aplicativo PicPay nas lojas do Android ou iOS e busque por Papo Cloud, você pode contribuir mensalmente a partir de R$3,50.

Veja todos os planos e seus benefícios no aplicativo PicPay procurando por Papo Cloud.

Não deixe de nos enviar seu comentário, estamos no Instagram e Twitter com @papocloud, visite nosso site papo.cloud e assine nossa News, se tiver algum tema ou sugestão mande um e-mail para contato@papo.cloud.

A pesquisa tem um total de 52 páginas e aborda temas desde Evolução das ocupações, áreas, gênero, escolaridade, faixa etária, jornada de trabalho, tempo no emprego e remuneração média, entre outros aspectos.

Vamos ao tema remuneração média.

Lembrando que estou fazendo uma leitura dos dados e utilizando minha experiencia como consultor a um pouco mais de 15 anos.

No gráfico 27 apresenta remuneração conforme ocupação de cada função.

O valor médio global de remuneração está em R$ 5.956,00 para CORE TI e R$ 6.727,00 para In House.

No valor médio profissionais que atuam dentro das empresas que possuem TI como meio, recebem um valor maior.

Claro, se você olhar os grupos individuais, irá perceber que na categoria Especialistas de Informática o CORE TI está na frente no In House e para as maiores remunerações está na função de Diretores de TI sendo CORE TI com R$ 24.829,00 e In House R$ 16.984,00.

No gráfico você vai poder ver como as outras categorias estão distribuídas.

Meu comentário.

Muito além da remuneração o que eu percebo é quando você tem uma TI muito mais focada e próxima na área de negócio, não importando se você é CORE TI ou In House as remunerações em geral são bem distribuídas, e seus valores estão muito próximos da média da pesquisa.

Isso é, sendo você CORE ou In os valores estão próximos, mas é sempre bom você se atentar em quais fatores proporcionam maiores remunerações independente do seu cago.

E esse ponto é abordado no gráfico 23 – Escolaridade no mercado de trabalho formal.

Para os CORE TI é encontrado 72,78% com Superior Completo e  In House com 64,60%.

Na pesquisa não pode ser observador nenhuma correlação entre a remuneração e o nível de escolaridade, e nem tão pouco, quais são os cursos extra de qualificação.

Mas um ponto que já foi abordado no episódio 015 – Treinamento versus Qualificação, é um sentimento real que quanto maior a qualificação do profissional maior serão as possibilidades de estar preparada para as vagas com maiores remunerações.

Claro, cada caso é um caso e você tem que saber analisar cada ponto.

Já no segmento de contratação por porte da empresa no gráfico 26, você poderá ver que as empresas de tamanho micro, pequena e média possuem mais profissionais do tipo CORE TI, já as empresas de grande porte possuem em seu quadro 49,9% de In House e 41,2% CORE TI.

No final da pesquisa é apresentado um resumo com os principais pontos, destaco dois.

Tanto para CORE TI e In House 80% são homens já a escolaridade está em 73% superior completo (somando mestrado e doutorado = 74%) para o CORE TI e 65% superior completo (somando mestrado e doutorado = 67%) para o In House.

Lembrando que a pesquisa completa você pode acessar no link na transcrição desse programa.

Eu acredito que é uma boa leitura, mas sinto falta de ter uma apresentação nos dados por região, escolaridade, remuneração tanto por cago quanto por género.

E até mesmo poder compreender a relação entre as empresas que são de base tecnológica e as empresas dos setores não tecnológico.

Se você conhece alguma pesquisa que traga essa informação não deixe de compartilhar aqui no Papo Cloud.

E ai?!
Tá na nuvem!

———

Apoiador(es) PicPay:
Arthur Moura
Samuel Camelo
Michel Távora